Em segmentos como a construção civil e as indústrias, existem riscos ocupacionais decorrentes do tipo de trabalho exercido. Entre eles, um dos principais é a exposição a sons altos que podem prejudicar a saúde auditiva.

Barulhos de alta frequência e ruídos, principalmente quando ocorrem por longos períodos, podem causar sérios danos aos trabalhadores. Estresse, insônia, depressão e perda de audição são apenas alguns dos problemas decorrentes da atividade laboral em ambientes com alta exposição a sons desagradáveis.

Para se ter ideia, um trabalhador exposto a 85 decibéis por, pelo menos, oito horas seguidas pode sofrer de PAIR (Perda Auditiva Induzida por Ruídos). 

Por isso, vamos mostrar neste artigo como se prevenir desse tipo de perigo por meio de boas práticas de proteção auditiva. Continue a leitura para conferir!

O que é ruído?

Todo som incompreensível ou desagradável ao ouvido humano é considerado um ruído. Presente em todos os ambientes de trabalho, o ruído pode manifestar-se com menos ou mais intensidade.

Sua intensidade é mensurada em decibéis, comumente abreviado por Db. Por lei, é permitido, no ambiente de trabalho, a exposição a ruídos de até 85 decibéis, segundo a norma regulamentadora de número 15.

Caso não seja possível evitar a exposição ao ruído, é preciso tomar medidas de proteção auditiva como o uso de EPIs adequados. No entanto, antes de escolher o equipamento de segurança, é preciso definir alguns aspectos.

  • Por quanto tempo o trabalhador ficará exposto ao ruído diariamente?

  • O ruído está próximo ou distante do trabalhador?

  • Sua intensidade é moderada, alta ou insuportável?

  • Qual é o tipo do ruído? Contínuo (sem parar), repentino (impacto) ou é produzido de vez em quando (intermitente)?

Por que é importante priorizar a proteção auditiva?

Como foi dito no tópico anterior, o ruído está presente na maioria dos ambientes produtivos, independente de qual seja o segmento da empresa. Entretanto, é o fato dele ultrapassar os 85 decibéis, permitidos por lei, que pode torná-lo prejudicial.

Apesar da surdez parcial ou total parecer o máximo de dano que um trabalhador pode sofrer pela exposição a altos sons, existem muitos outros problemas sérios de saúde que podem ser desencadeados (ou até agravados) por causa do excesso de ruídos, como:

  • ansiedade;

  • desconforto;

  • insônia;

  • irritabilidade;

  • estresse;

  • tensão;

  • depressão;

  • problemas de memória;

  • contração muscular.

Dado esse contexto, a proteção auditiva mostra-se altamente relevante no ambiente laboral. Por isso, é imprescindível que os empregados utilizem os Equipamentos de Proteção Individual adequados à sua função. Em geral, é indicado o uso de protetores auriculares ou abafadores de som em trabalhos que lidam com altos sons.

O que é protetor auricular?

Também conhecidos como protetores de inserção ou tipo plug, protetores auriculares são, basicamente, EPIs desenvolvidos para reduzir os níveis de exposição perigosos de ruídos ou outros sons indesejados, próprios para proteger o sistema auditivo do trabalhador.

A partir do momento em que são aprovados pelos segmento de higiene, segurança e medicina do trabalho, ou pelo próprio técnico de segurança da empresa, seu uso pode ser implementado na organização.

Existe uma vasta gama de opções de protetores auriculares, variando desde acessórios descartáveis ou reutilizáveis até modelos moldáveis ou pré-moldáveis. Contudo, para garantir a sua eficiência e segurança à integridade auditiva do colaborador, é imprescindível que sejam utilizados da forma correta.

Vale ressaltar, ainda, que há um nível de redução de som para cada modelo específico, sendo indicado para setores em que os sons altos do ambiente produtivo oscilem entre 15 e 21 decibéis, como consta no certificado de aprovação dos Equipamentos de Proteção Individual.

O que é um abafador de som?

Abafadores de som ou, como também são comumente conhecidos, protetores tipo concha, são equipamentos de proteção para os ouvidos que se assemelham aos headsets de computadores. Contém duas grandes conchas, interligadas por um arco, e espuma localizada na parte interna das cavidades.

Sua função prioritária é bloquear o máximo possível de sons externos, minimizando de forma significativa a intensidade dos ruídos. Uma de suas grandes vantagens é o fato de que a maioria dos modelos permite que o usuário ajuste o arco e as almofadas, encaixando o equipamento melhor à sua cabeça e obtendo mais conforto.

Lembrando que existem alguns modelos de abafadores de som que têm cores chamativas nas conchas, para tornar o trabalho de vistoria do técnico de segurança do trabalho e dos responsáveis mais fácil, ajudando-os a se certificar de que os funcionários estão utilizando os EPIs durante o expediente.

Quais são as principais diferenças entre protetores auriculares e abafadores de som?

Protetores auriculares

O primeiro aspecto marcante entre os dois tipos de equipamentos de proteção auditiva é a mobilidade e o tamanho. Protetores auriculares podem ser manuseados sem dificuldades por qualquer pessoa por serem objetos que podem ser guardados no bolso.

Além disso, podem ser acondicionados em qualquer lugar, não interferem no uso de outros tipos de EPIs faciais, como óculos ou máscaras de proteção, são consideravelmente mais baratos que os abafadores de som, fáceis de carregar e não prejudicam o desempenho do trabalhador por causa do aumento de temperatura.

Mas exigem constante esterilização, não é possível manipulá-los enquanto se utiliza as luvas de proteção, não podem ser inseridos em ouvidos que não sejam sãos, necessitam de ajustes para a longitude e o diâmetro do canal auditivo externo, tornam o trabalho de monitoramento dos responsáveis mais complexo e podem ser facilmente extraviados.

Abafadores de som​

Uma das características mais marcantes dos abafadores de som é que eles dispensam conhecimento técnico para serem colocados. Ou seja, qualquer trabalhador pode facilmente utilizá-los.

Para os técnicos de segurança do trabalho, a função de monitoramento é muito mais precisa, são confortáveis em locais de baixa temperatura e podem ser ajustados e manuseados mesmo com as luvas de proteção.

No entanto, vale ressaltar que são objetos grandes e não podem ser simplesmente carregados em bolsos, tampouco guardados em caixas de ferramentas ou espaços pequenos. Seu uso pode interferir nos óculos de proteção ou máscaras.

Uma de suas principais desvantagens é o fato de causarem bastante desconforto aos empregados quando utilizados em ambientes ou épocas quentes. Além disso, seu uso coletivo pode gerar uma situação de contágio na empresa e exigem um local de higienização específico.

Para finalizarmos este artigo, é importante lembrar que priorizar a proteção auditiva dos funcionários por meio dos acessórios citados garante um ambiente laboral mais seguro e exponencialmente mais produtivo.

Antes de implementar o uso de protetores auriculares ou abafadores de som, considere os aspectos que citamos no conteúdo para identificar a opção que melhor se adequa à sua empresa.

Quer saber mais sobre como prevenir os trabalhadores de sua empresa dos riscos ocupacionais decorrentes da exposição a altos sons? Quer implementar medidas de proteção auditiva eficientes em seu ambiente laboral? Então entre em contato conosco para que possamos ajudar!

Powered by Rock Convert