O meio de trabalho pode ser prejudicado por diversos tipos de comportamentos que colocam em xeque a saúde e segurança dos trabalhadores. Para entender melhor como esses erros acontecem, é preciso compreender plenamente as diferenças entre negligência, imprudência e imperícia.

Como técnico de segurança do trabalho, é essencial que você saiba diferenciar esses três termos conforme a legislação. Afinal, eles são três institutos presentes em nosso Direito. A linha que separa os termos é tênue, mas as diferenças entre negligência, imprudência e imperícia resultam em graus diferentes de responsabilizações, sejam na esfera cível ou penal.

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue acompanhando este artigo e entenda como ele se aplica ao seu ambiente de trabalho.

Saiba a diferença entre negligência, imprudência e imperícia

Imperícia

A imperícia pode ser descrita como a incapacidade para a realização de determinada técnica — a famosa falta de habilidade. Um médico clínico-geral, por exemplo, não pode realizar uma cirurgia em um paciente, pois não tem o conhecimento necessário. Assim como um motorista que sabe dirigir um carro popular com maestria não saberá, necessariamente, conduzir um caminhão.

Quando o profissional não tem a capacidade técnica para manusear um equipamento e, mesmo assim, opta por fazê-lo, a imperícia é então caracterizada. Tanto a empresa quanto o trabalhador podem responder civilmente pelas consequências do fato.

Imprudência

A imprudência tem mais a ver com a falta de atenção e de cautela, e pressupõe que uma ação foi feita de maneira precipitada. O agente até sabe fazer a ação da forma correta, mas não toma o devido cuidado para que isso aconteça.

Além disso, um ato imprudente pode até se revelar de má fé. Isso porque o agente tem conhecimento do mal e, mesmo assim, assume o risco de praticá-lo. O profissional imprudente sabe do grau de risco envolvido na atividade e, mesmo assim, acredita que é possível realizar a ação sem que haja prejuízo, extrapolando os limites da inteligência e do bom senso. 

Negligência

Por último, a negligência é uma ação que deveria ser realizada, mas não foi devido a um descuido, desleixo, desatenção ou omissão. É o mesmo que agir com indiferença, sem tomar as devidas precauções.

Diferentemente do ponto anterior, em que o operador diverge do esperado, a negligência ocorre quando ele deixa de tomar a atitude certa, como não checar o estado de conservação dos EPIs.

Outro exemplo pode ser o caso de uma babá que, mesmo vendo a criança brincar próximo a uma panela quente, não a afasta — permitindo que um acidente aconteça.

O derramamento de óleo no oceano também é um exemplo clássico de negligência, pois poderia ter sido impedido se a empresa estivesse atenta a itens básicos de conservação da plataforma petrolífera. 

Em todos os casos, os agentes não buscavam necessariamente a morte de alguém, mas sua conduta errada resultou nisso. Assim, a negligência é a omissão ou falta de observação do dever.

Entenda como esses comportamentos se aplicam à segurança do trabalho

Os acidentes de trabalho tem tudo a ver com os fatores elencados acima. Todo acidente no ambiente de trabalho é originado por conta de pessoas, máquinas, equipamentos, relações interpessoais e organização do trabalho.

A equipe de segurança do trabalho precisa atuar para prevenir todo tipo de acidente, inclusive, conscientizando os funcionários e motivando cada um deles para que estejam alinhados ao mesmo compromisso.

Essas três palavras — negligência, imprudência e imperícia — podem atrapalhar toda a rotina de uma empresa, trazendo consequências que tiram o sono de qualquer gestor. Risco de multas e de interdições, atrasos na linha de produção e consequências de um processo judicial são apenas alguns exemplos que cercam esses conceitos.

Não há como mudar. Qualquer uma dessas três palavras vai gerar, em algum momento, um acidente no ambiente de trabalho ou, no mínimo, um incidente. Essas atividades são incorretas e só aumentam a probabilidade de algum desvio acontecer.

Uma boa política de prevenção aos riscos laborais é, portanto, imprescindível, assim como a inclusão desses institutos jurídicos no vocabulário do quadro de recursos humanos. Toda a empresa precisa estar ciente de que qualquer ação que envolva um desses conceitos não é permitida.

Como responsável pela segurança do trabalho, procure maneiras expressivas de deixar bem claro o quanto você se esforça para que a corporação nunca seja acusada de negligência, imprudência e imperícia dentro do que corresponde à sua gerência.

Na prática, dentre alguns exemplos que mostram a deliberação desses comportamentos institucionalmente, e ligados à segurança do trabalho, estão:

  • negligência: permitir que a equipe trabalhe sem os Equipamento de Proteção Individual (EPIs), ou não se preocupar com a fiscalização de equipamentos, máquinas e veículos da empresa;
  • imprudência: permitir que os profissionais trabalhem sem os EPIs adequados e em bom estado de conservação, ou ignorar as etapas que garantem a segurança em um processo operacional;
  • imperícia: permitir que funcionários manuseiem máquinas sem que tenham habilitação e conhecimento técnico sobre elas.

Fiscalize a execução dos trabalhos

É fundamental que técnicos, engenheiros do trabalho ou líderes de setores fiscalizem constantemente o ambiente, com o objetivo de prevenir possíveis acidentes. Orientar os colaboradores sobre a adoção das medidas corretas também é essencial e relevante dentro de qualquer corporação.

Com a ajuda da fiscalização, você poderá garantir que as metodologias na linha produtiva sejam padronizadas em prol da qualidade. Como resultado, as atividades sempre serão executadas conforme as normas preventivas e reguladoras.

Toda vez que um colaborador prioriza a realização de um procedimento de maneira correta, as falhas humanas são evitadas, fazendo com que as execuções se superem cada vez mais. Saber mais sobre as modalidades de culpa previstas no direito brasileiro vai assegurar que a sua gestão seja eficiente e previna a empresa de perdas e prejuízos significativos.

O profissional que se relaciona diretamente com a proteção dos funcionários no ambiente de trabalho precisa saber quando ocorre negligência, imprudência e imperícia. Só assim ele entenderá quais responsabilidades poderão ser aplicadas após a averiguação do caso concreto.

Agora que você sabe mais sobre negligência, imprudência e imperícia, aproveite para compartilhar esse conhecimento em suas redes sociais. Espalhe este artigo entre os seus seguidores!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert