ambiente de trabalho pode ser altamente estressante para os colaboradores da empresa, afetando a sua produtividade e impactando os resultados de forma direta a médio e longo prazo.

Além disso, existem também os riscos físicos que, quando não são tratados com a devida relevância que exigem, podem se transformar em doenças ocupacionais decorrentes de esforços e atividades laborais desenvolvidas com má postura.

Dado esse contexto, a ginástica laboral tem um papel fundamental na promoção de boas práticas e técnicas de prevenção de doenças crônicas ou degenerativas. Continue a leitura do conteúdo para entender como ela funciona e por que promovê-la em sua empresa!

O que é ginástica laboral?

É uma série de práticas que têm como objetivo a prevenção de patologias e problemas associados às atividades realizadas dentro do ambiente de trabalho, incentivando os funcionários a praticar atividades físicas e dando ênfase à sua importância na melhoria da qualidade de vida e manutenção da saúde.

Em geral, a ginástica laboral é feita diretamente no posto de trabalho, mas também pode ser realizada em alguma localidade específica dentro do estabelecimento. Sua duração tem, em média, 15 minutos e pode ser feita todos os dias, três vezes por semana ou mediante a frequência que a empresa decidir realizá-la.

Quais são os tipos de ginástica laboral?

Existem algumas classificações para a ginástica laboral para que seus objetivos possam ser focados com mais precisão, de acordo com a necessidade dos colaboradores. Suas modalidades são definidas por fatores como o tempo de duração e o período em que são realizadas.

Ginástica preparatória

Como o próprio nome já diz, o objetivo é preparar o corpo para a realização do trabalho físico, já que ela:

  • aumenta a frequência cardíaca;

  • melhora a oxigenação tecidual;

  • eleva a disposição e capacidade de concentração.

Aplicada no início das atividades, seu tempo de duração é de 10 a 12 minutos em média e, nela, são realizados exercícios de flexibilidade, resistência muscular, concentração e coordenação.

Ginástica compensatória

É aplicada durante a jornada de trabalho e busca aliviar as tensões musculares decorrentes da repetição de movimentos, excessividade do uso de má postura e esforços excessivos.

Seu intuito é:

  • corrigir a postura;

  • prevenir a fadiga muscular;

  • remover os resíduos metabólicos.

Podemos afirmar que ela trabalha especificamente a flexibilidade, correção da postura, exercícios respiratórios e alongamentos.

Ginástica de relaxamento

É realizada no final do expediente e o seu objetivo principal é aliviar as tensões e reduzir o estresse por meio de exercícios respiratórios, automassagens, alongamentos e até mesmo meditação.

Vale ressaltar, ainda, que existem outras modalidades de ginástica laboral relacionadas a algumas necessidades específicas, como:

  • ginástica corretiva/postural: tem como objetivo equilibrar as musculaturas agonista e antagonista com exercícios de fortalecimento e alongamento em músculos de pouco uso;

  • ginástica terapêutica: busca tratar patologias e distúrbios de alterações posturais, de acordo com as queixas dos colaboradores. Exige um local adequado e dura em média 30 minutos;

  • ginástica de conservação/manutenção: é um programa que procura manter os resultados de um eficiente trabalho de condicionamento físico, alcançando o equilíbrio muscular e aplicando correções que se mostrarem necessárias. Também exige uma sala especial para ser realizada e dura, em média, de 45 a 90 minutos.

Como a ginástica laboral pode ser implementada?

Avalie a cultura institucional

Primeiramente, é imprescindível que o técnico de segurança de trabalho, com a equipe de gestão, certifiquem-se com profundidade a respeito de todas as características institucionais e constitucionais da empresa, para mensurar a viabilidade do projeto.

É necessário considerar uma série de aspectos e levantar alguns questionamentos.

  • Os trabalhadores têm facilidade em aderir a novos projetos?

  • A empresa já teve ginástica laboral implementada em outra ocasião? Em caso afirmativo, o que levou ao cancelamento?

  • A demanda da implementação é oriunda de que segmento da empresa?

  • A organização investe ou já investiu em outros projetos associados à saúde de seus trabalhadores e qualidade de vida no ambiente laboral?

Depois, considere avaliar minuciosamente as condições do ambiente produtivo, pois um conhecimento sobre ergonomia pode ser de grande utilidade nessa etapa.

Faça um levantamento de informações

Questionários, observações bem estruturadas e entrevistas com os empregados são ferramentas altamente relevantes na implementação da ginástica laboral no empreendimento, pois permite que se conheça as características dos trabalhadores.

Esse conhecimento é fundamental para que os resultados advindos da adoção de atividades físicas dentro da empresa sejam alcançados com efetividade.

Com base nas informações levantadas é possível dar início a um planejamento consistente. A primeira etapa é definir quais serão as modalidades de exercícios utilizados, depois a frequência ideal para sua prática, os horários ideais e o perfil profissional que deve conduzir e acompanhar durante as atividades.

Acompanhe os processos

A ideia aqui é realizar um acompanhamento de todas as etapas da implementação da ginástica laboral na empresa. Ou seja, é necessário acompanhar as aulas e treinamentos propriamente ditos, além de assegurar que cada detalhe do planejamento seja colocado em prática.

Defina uma metodologia clara e coesa para acompanhar e elencar os indicadores de desempenho, garantindo que os resultados esperados sejam alcançados com sucesso. Para isso, controle todo o andamento do projeto e a aplicação dos planos.

Mensure os resultados

Finalmente, faça uma reavaliação sobre o processo como um todo e reflita com base nos resultados, pois a ginástica laboral não deve ser tratada como um mero capricho que tem como objetivo apenas transparecer que a empresa se enquadra nos moldes da modernidade.

O objetivo é promover a saúde e o bem-estar dos trabalhadores, reduzindo o nível de estresse do ambiente de trabalho e melhorando a qualidade de vida, além de minimizar os índices de afastamentos por doenças ocupacionais, o que acaba refletindo diretamente na produtividade e nos custos do empreendimento.

Quais são os benefícios da ginástica laboral?

  • Prevenção de doenças laborais severas;

  • redução dos índices de afastamentos médicos;

  • economia com despesas médicas;

  • otimização da qualidade de vida no trabalho (QVT);

  • adequação da empresa à Norma Regulamentadora de número 17 (NR-17);

  • melhorias na rotina produtiva dos colaboradores;

  • minimização da sensação de fadiga e esgotamento no fim da jornada de trabalho;

  • diminuição dos riscos de acidentes de trabalho;

  • aumento no foco, concentração e disposição dos empregados;

  • ganhos de produtividade e desempenho.

Como você pôde conferir neste artigo, a ginástica laboral é um investimento que pode elevar os resultados da empresa, melhorando a imagem da instituição diante da sociedade e promovendo uma série de benefícios à vida dos trabalhadores. 

Agora que você já sabe como funciona a ginástica laboral e qual a importância de promovê-la em sua empresa, aproveite para seguir a nossa página oficial no Facebook e acompanhar mais conteúdos exclusivos!

Powered by Rock Convert