Para que uma empresa possa oferecer segurança aos seus colaboradores, é preciso adotar campanhas de conscientização sobre a melhor utilização dos equipamentos, além de orientá-los a fazer suas atividades de acordo com o que exigem as normas preestabelecidas. No entanto, também é necessário oferecer subsídios para garantir a sua integridade física, como o EPI para construção civil. 

Os EPIs, também conhecidos como Equipamentos de Proteção Individual, garantem a proteção do colaborador em situações de riscos, minimizando os perigos oferecidos pelo seu trabalho. Pensando nisso, elaboramos este conteúdo com o objetivo de que você entenda quais são os principais. Boa leitura!

Capacete de segurança

A NR 6 estabelece algumas diretrizes em relação à obrigatoriedade das empresas de oferecer os EPIs adequados. Em relação aos capacetes de segurança, a divisão é feita em duas classes: A, na qual não se aplicam trabalhos com energia elétrica; e B, na qual se aplicam.

Para a escolha adequada do equipamento, é preciso entender o dia a dia de trabalho do funcionário. Nesse sentido, um mapeamento de riscos em conjunto com a equipe é a alternativa mais viável, pois permitirá uma escolha de acordo com o que o trabalhador precisa, garantindo a eficácia de sua segurança. 

Entre os tipos de capacetes existentes, destacamos os principais.

Aba total

É indicado para trabalhos em que o colaborador esteja exposto à radiação solar. Além disso, caso o colaborador tenha contato com parte elétrica de uma obra, esse capacete contribuirá para a sua segurança. 

Aba frontal

Oferece proteção ao rosto e aos olhos, indicado para aqueles trabalhos na construção civil em que existem riscos de faíscas e pedregulhos atingirem o funcionário.

Sem aba

Há a proteção especialmente para impactos na cabeça. Por ter um formato compacto, vem sendo adotado por empresas que apresentam esse perigo aos funcionários. 

Óculos de segurança 

Como a construção civil geralmente oferece ao colaborador riscos que não são possíveis eliminar ou reduzir sem a utilização de EPIs, os óculos de segurança devem ser priorizados para proteger os olhos do funcionário de possíveis agentes externos. Assim como os capacetes, também há diferentes tipos desse equipamento. 

Inicialmente, entenda quais são as principais atividades executadas pelos seus profissionais. Assim, será possível avaliar quais os óculos mais indicados para as suas funções.

Existem outros nichos de atuação que também exigem a utilização desse material, como siderúrgicas, ambientes hospitalares, indústrias automobilísticas, farmacêuticas, químicas, entre outros. Para a construção civil, não existe a necessidade de contar com materiais especiais, mas é preciso que ofereça a resistência para suportar os impactos rotineiros. 

Caso o trabalho seja executado em ambientes internos, as lentes podem ser claras. No entanto, em ambientes externos em que também há o fator da incidência solar, é preciso contar com lentes mais escuras. Também existe a opção de escolher por aquele que tenha proteções laterais, principalmente se existir o lançamento de partículas das mais diversas direções. 

Calçados de proteção

Novamente, destacamos a necessidade de contar com materiais que sejam adaptados à realidade do trabalho de seus funcionários para garantir a proteção adequada aos pés do profissional. Confira os principais tipos!

Bota de segurança

A bota de segurança é indicada para projetos que ofereçam ao colaborador algum tipo de risco relacionado a impactos, umidade e danos térmicos. Devido ao material utilizado, ela evita com que os pés se molhem, além de oferecer proteção para possíveis “topadas” que o funcionário der ou queda de objetos pesados em seus pés. 

Sapatos de segurança

Apesar de oferecer proteção semelhante à bota de segurança, o seu formato é um pouco diferenciado. Também preserva o colaborador de impactos e quedas de objetos, mas o cano é mais baixo e oferece ao trabalhador uma aparência mais casual. 

Protetor auricular

O protetor auricular vai atenuar os ruídos da construção civil que podem prejudicar a audição do trabalhador. Também existem variados formatos, de acordo com as especifidades do projeto e do trabalho executado.

Moldável

Confeccionado em espuma, esse tipo de protetor auricular é moldável, sendo bastante flexível para os condutos auditivos do funcionário. No entanto, tenha atenção redobrada a esse EPI no que se refere à higiene. Não é indicado que eles sejam reutilizados, exigindo que o profissional o descarte logo após o uso. 

Pré-moldado

Também em formato de cone, a diferença nesse tipo de protetor auricular é que tem três flanges e de diâmetros distintos, além de haver a possibilidade de higienizá-lo após a utilização. Oriente os profissionais a fazer a limpeza adequada para maior durabilidade do equipamento, assim como para a saúde de seus canais auditivos.

Concha

Também há a possibilidade de higienizá-la para ser reutilizada outras vezes. Existem duas conchas de plástico e revestidas, como se fosse uma espécie de fone de ouvido.

Em todos esses tipos, é preciso que o trabalhador não o manuseie com as mãos sujas, além de entender sobre as condições de armazenamento. A limpeza deve ser feita com sabão neutro, não sendo recomendável utilizar álcool ou outros tipos de detergentes.

Cinto de segurança

O cinto de segurança é indicado especialmente para trabalhos em que o profissional está exposto à altura, em ambientes que ficam há mais de 2 metros do chão. Entenda quais são os diferentes tipos de cinto de segurança, saiba como adotá-los no dia a dia de seu trabalhador, procure um fornecedor de confiança que trabalhe com produtos de qualidade, além de ter uma política de checagem para compreender a sua durabilidade e a eficiência. 

O ideal é que tenha um profissional especializado em saúde e segurança do trabalho que entenda todos esses pontos para uma fiscalização constante, além de elaborar relatórios que definam efetivamente sobre as condições dos EPIs e sobre a utilização correta por parte dos colaboradores.

Neste conteúdo, você pôde perceber sobre o EPI para construção civil, sua importância e quais são os principais tipos. Para um gestor, é essencial estar por dentro desses pontos visando garantir a segurança de seus profissionais, assim como estar por dentro do que exige a legislação trabalhista, justamente pela obrigatoriedade de sua utilização. Isso contribui para evitar problemas judiciais, além de garantir mais bem-estar e qualidade de vida aos funcionários. 

O que achou deste conteúdo? Já utiliza algum desses EPIs e deseja compartilhar com a gente sobre a sua experiência? Deixe seu comentário no post!

Powered by Rock Convert