Cada vez mais as mulheres constituem uma base maior de força de trabalho em nosso país. Dessa forma, é preciso que os fabricantes de equipamentos individuais se adaptem a essa nova realidade. Na construção civil, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, a participação de mulheres cresceu cerca de 65% entre os anos de 2002 e 2012, comprovando a necessidade de as empresas terem mais atenção no que diz respeito aos EPIs para mulheres.

A partir de testes de equipamentos de proteção projetados para homens, é possível perceber os riscos que elas correm ao utilizarem esses itens. Foi pensando nesses aspectos que elaboramos este conteúdo, para que você entenda a importância dos EPIs para mulheres e outras informações sobre o assunto. Boa leitura!

Saiba o que é EPI

Como dito, EPI significa Equipamento de Proteção Individual, definido pela Norma Regulamentadora nº 6 do Ministério do Trabalho e Emprego como dispositivo e produto de uso individual do colaborador, normalmente destinado à proteção de riscos que ameaçam a segurança e a saúde no trabalho.

Sendo assim, são responsáveis pela proteção e integridade do funcionário, também com o intuito de reduzir riscos no ambiente de trabalho e promover a saúde, assim como evitar acidentes e doenças ocupacionais.

Segundo a Norma Regulamentadora, esses equipamentos devem ser entregues para o empregado sem nenhum ônus, sendo adequado para a sua atividade e estando em perfeitas condições de uso, além de ter o Certificado de Aprovação, que é obrigatório para todos os EPIs.

Entre os principais equipamentos, destacamos:

  • capacetes;

  • protetor facial;

  • óculos;

  • proteção do tronco;

  • calçados;

  • cinturão;

  • entre outros.

Percebe-se, portanto, a necessidade de pensar nesses itens para o público feminino, uma vez que a proteção das trabalhadoras também está em jogo no dia a dia de trabalho.

Entenda a importância dos EPIs para mulheres

Como dito, as mulheres estão ocupando cada vez mais cargos que até então eram destinados em sua maioria aos homens. Dessa forma, as profissionais têm exercido cargos que vão além dos escritórios e de tarefas domésticas, como a construção civil, atuação na polícia, corpo de bombeiros, entre outras profissões existentes.

Considerando que muitas dessas profissões exigem o uso de EPIs para determinadas atividades, visando não comprometer a segurança da colaboradora, é preciso pensar em soluções que se adaptem às suas necessidades.

O calçado de segurança

Entre os EPIs mais importantes no cotidiano de um trabalhador, como os citados, os calçados podem ser considerados os principais, já que garantem a proteção dos pés contra objetos, protege de quedas de peças pesadas, além de evitar o contato com produtos químicos, choques e/ou queimaduras.

Esses itens, em específico, não apresentam muita diferença em relação ao calçado de segurança masculino, com a exceção do tamanho. Abaixo, selecionamos os principais modelos desse EPI:

  • botinas de segurança: são fabricadas em couro, biqueira de PVC, aço ou microfibra;

  • botas de PVC: são encontradas em muitas opções de cores e tamanhos de canos, com forração térmica caso seja necessário;

  • botas de borracha: têm diversas opções de tamanhos de canos, além de ter a alternativa do forro de nylon para facilitar na hora de calçar;

  • sapatos de segurança: protegem contra danos térmicos, umidade e produtos químicos.

Os EPIs para mulheres

Antes, era comum que as mulheres recebessem de seus gestores EPI padrão, desenvolvido para a força de trabalho até então predominantemente masculina. Isso tornou-se perigoso, pois colocava as colaboradoras em riscos de lesões, queimaduras, entre outros acidentes, uma vez que, com o EPI concebido para as dimensões masculinas, as funcionárias precisavam confiar em um item muito grande ou desproporcional.

Entre os riscos do EPI incorreto, destacam-se:

  • macacões largos: ficarem presos a máquinas, causando quedas, cortes ou outros tipos de acidentes semelhantes;

  • luvas com dimensões inapropriadas: destreza reduzida;

  • sapatos grandes e desproporcionais: facilitam quedas;

  • capacetes largos: se desencaixarem durante algum acidente ou até mesmo em alguma ação com movimento mais brusco.

A partir do momento que as mulheres não tenham equipamentos que sejam adequados para a proteção, podem até mesmo tentar fazer alguma alteração naquele item que está utilizando. Isso não deve ser feito de maneira alguma, pois cada equipamento de proteção individual tem um certificado em padrão preestabelecido.

Assim, caso a mulher faça alguma customização com o objetivo de tornar o vestuário mais confortável para o trabalho, a peça pode se tornar algo não compatível, colocando a sua saúde e segurança em risco.

Conheça dados sobre acidentes de trabalho no Brasil

O uso dos EPIs pelos colaboradores é essencial, comprovado estatisticamente pelos dados oficiais. De acordo com estatísticas divulgadas pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, elaborado pelo Ministério Público do Trabalho, desde o início do ano de 2017, pelo menos um trabalhador brasileiro faleceu a cada quatro horas e meia em sua rotina laboral.

Esses dados informam, ainda, que desde o começo de 2017 até o início de 2018, foram registrados mais de 675 mil casos de acidentes, com 2351 mortes notificadas. Esse problema, além de ser de saúde pública, também afeta os cofres do Estado: mais de 26 bilhões de reais foram gastos com auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria por invalidez e o pagamento de pensões para os familiares das vítimas fatais.

Saiba quais foram os acidentes mais comuns:

  • pouco mais de 21% relacionados a cortes, lacerações e feridas;

  • 17.5% de trabalhadores sofreram algum tipo de fratura;

  • 15.7% foram vítimas de esmagamento.

Veja como escolher um fornecedor de EPI de maneira eficiente

Para escolher um fornecedor de EPI de maneira eficiente, é preciso pesquisar inicialmente pelo custo-benefício. Além disso, é necessário considerar que essa medida não é um gasto para a empresa, mas um investimento que trará frutos para a saúde e segurança dos colaboradores.

Outra dica interessante para a escolha eficiente é pesquisar empresas tradicionais no mercado. Veja se o fornecedor tem boa reputação e um nome firmado em relação às vendas de EPIs. Por fim, preocupe-se com a qualidade dos equipamentos oferecidos, com o objetivo de garantir a integridade dos seus funcionários.

A partir da leitura deste conteúdo, você pôde entender melhor o que é um EPI, qual a sua importância, por que os EPIs para mulheres devem ter uma atenção redobrada pelos fornecedores e como escolher um fornecedor de maneira eficiente.

Garantir a segurança dos colaboradores é algo que deve ser considerado como primordial pelas empresas, principalmente analisando os dados apresentados. Assim, problemas com a justiça são evitados e é oferecida melhor qualidade de vida aos funcionários.

Se você gostou deste conteúdo e deseja acrescentar algo, deixe seu comentário e compartilhe suas dúvidas e experiências sobre EPIs.

Powered by Rock Convert