Uma empresa, com o objetivo de garantir a produtividade, a qualidade no trabalho e o bem-estar de seus colaboradores, precisa estabelecer algumas estratégias e ações, além de compreender o que diz a legislação sobre determinadas questões, como a segurança dos funcionários. Entre elas, o uso obrigatório dos Equipamentos de Proteção Individual, também conhecidos como EPIs.

É necessário entender a realidade da organização, mapear os riscos e pesquisar sobre os tipos de EPI necessários para garantir a integridade física dos profissionais. Pensando nisso, elaboramos este post para que você entenda quais são os principais tipos de equipamentos como esses. Boa leitura!

Proteção da cabeça e da face

A proteção da cabeça e da face é essencial, especialmente para trabalhos em altura. Veja quais são os principais EPIs que garantem essa segurança. 

Capacete com aba total

O capacete com aba total é indicado para as funções que o colaborador exerce debaixo de sol quente ou em locais que oferecem riscos de escorrimento de líquidos, além de impedir choques elétricos. Como o próprio nome já diz, a sua aba percorre por todo o perímetro do equipamento, garantindo ao funcionário mais proteção contra os fatores mencionados. 

Além disso, o capacete é essencial para preservar o colaborador em relação a possíveis impactos. Dessa forma, para as empresas cujas funções exigem do profissional o trabalho em locais arriscados e externos, é um item imprescindível. 

Capacete com aba frontal

Esse tipo de equipamento tem a aba apenas na região frontal. Utilizado comumente na construção civil, protege o colaborador em relação aos impactos de objetos na cabeça, além de diminuir os riscos de choques elétricos. 

Capacete com aba frontal e viseira

Aqui, além da frontal, o capacete também conta com viseira. Geralmente é utilizado por colaboradores de empresas que exercem funções em locais com riscos de explosões. Caso venha a ocorrer algum tipo de incidente, o equipamento vai proteger o funcionário de queimaduras, além de garantir que as partículas não causem danos à face do profissional. 

As cores do capacete

Além de conhecer os tipos de capacetes, é essencial que a equipe saiba diferenciar as cores desse EPI. Entenda:

  • amarelo: por proporcionar mais visibilidade, é o mais utilizado para garantir mais segurança ao colaborador e às demais pessoas, como visitantes;
  • branco: mestre de obras e encarregados;
  • cinza: engenheiros; 
  • laranja: eletricista;
  • preto: técnico de segurança do trabalho. 

Protetor facial

Afinal, o protetor solar é considerado um EPI? Apesar de não ter Certificado de Aprovação, pré-requisito para que seja considerado um EPI, é obrigação da empresa garantir a segurança e a integridade física do colaborador.

O não uso do protetor solar pode acarretar em doenças de pele e a situações momentâneas, como a insolação. Sendo assim, a empresa precisa traçar estratégias para incentivar o uso do protetor, como campanhas, palestras e treinamentos

Além dele, funcionários que são submetidos à luminosidade excessiva e à radiação ultravioleta também precisam contar com um equipamento, cujo visor é fixado a uma testeira. Assim, ele pode ser ajustado para que o colaborador exerça suas funções sem correr riscos de queimaduras e outros problemas decorrentes ao trabalho. 

Proteção dos olhos

Os olhos, assim como a pele, são um dos órgãos do corpo humano mais expostos aos acidentes que podem ocorrer no ambiente de trabalho, principalmente em situações que oferecem riscos de explosões e queimaduras. A seguir, confira quais são os tipos de EPI que visam proteger o colaborador contra esses danos. 

Óculos para proteção de radiação infravermelha

Esse tipo de equipamento é utilizado principalmente por siderúrgicas, cujo objetivo é proteger o colaborador de uma iluminação excessiva, como aquela emitida por máquinas de solda. Caso o funcionário seja submetido a uma exposição intensa, pode ocasionar perda de visão gradativa e até mesmo a cegueira. 

Óculos contra impactos

Os óculos contra impactos, utilizados especialmente na construção civil, têm a resistência necessária para suportar cimentos, resíduos metálicos, além de oferecem segurança contra partículas. 

Óculos para riscos químicos

Colaboradores de hospitais, além de farmacêuticos e químicos, que diariamente exercem suas funções manuseando produtos que causam danos à saúde física, também necessitam de equipamentos de proteção individual. Entre eles, os óculos para riscos químicos, fabricados justamente para vedar a região facial e proteger o profissional contra o ressecamento do globo ocular, por exemplo. 

Proteção dos ouvidos

Em ambientes bastante ruidosos, é preciso contar com itens que vão garantir a integridade do funcionário. Saiba quais são! 

Protetores auriculares

Os protetores auriculares podem ser de três tipos: silicone, espuma ou polímero. Devem ser escolhidos de acordo com a necessidade do colaborador, uma vez que cada um se adapta ao ouvido de maneira diferenciada. No entanto, é preciso que o gestor entenda que esse equipamento é imprescindível para situações em que o nível do ruído é maior do que o permitido. 

Engana-se quem pensa que protege apenas quanto ao barulho, pois em situações climáticas adversas também é preciso esse tipo de segurança. Sendo assim, garante a integridade em casos de chuva, ventos fortes e frio.

Concha

Também considerado um tipo de protetor auricular, a concha é um dos principais tipos de EPI que protegem colaboradores cuja audição é comprometida devido aos ruídos das máquinas. Com o objetivo de garantir a durabilidade do equipamento, a empresa pode fazer continuamente o treinamento para a utilização correta, uma vez que ele deve ser usado na posição vertical e ajustado para que toda a orelha seja coberta. Além disso, não é recomendável a utilização de nenhum tipo de acessório, como os brincos. 

A sua higienização também exige atenção por parte do trabalhador: jamais pode ser mergulhada em água ou em qualquer outro tipo de material. Para que seja feita a limpeza de maneira eficiente, o funcionário deve utilizar pano úmido e sabão neutro. 

Neste artigo, você pôde conhecer sobre os principais tipos de EPIs, suas funções e quando eles são mais necessários. A empresa deve entender exatamente quais são os riscos oferecidos pelos trabalhos exercidos por seus colaboradores, para, assim, providenciar os que garantirão a integridade física do profissional. 

Estar por dentro do que exige a lei quanto ao uso desses itens garante proteção não apenas ao colaborador, como também para a empresa, que não correrá riscos de passíveis trabalhistas. Ficou interessado? Então entre em contato conosco, converse com alguém de nossa equipe e conheça os nossos produtos!

Powered by Rock Convert