No dia a dia de uma empresa, o profissional está exposto a diversos fatores que colocam em risco a sua integridade física e mental. Com o objetivo de minimizar essas situações, é exigido o uso de Equipamentos de Proteção Individuais, conhecidos como EPIs. Eles são quaisquer dispositivos destinados à proteção de fatores que ameaçam a segurança e a saúde no ambiente de trabalho. Entre esses produtos, a luva antivibração protege contra riscos os quais explicaremos neste conteúdo. 

Para isso, continue a leitura e entenda o que é esse EPI, o que significa vibração ocupacional, quais as doenças ligadas a esse risco e a importância do uso desse equipamento. Boa leitura!

O que é vibração ocupacional?

O funcionário de uma empresa que trabalha com um maquinário que emite muitos ruídos constantemente está exposto a vibrações contínuas, normalmente associada a esse maquinário que provoca tremulações por todo o corpo. Entre essas máquinas, destacamos:

  • tratores;
  • equipamentos para a perfuração de chão; 
  • máquinas para perfuração de terra;
  • equipamentos para asfaltamento de ruas;
  • furadeiras;
  • motosserras;
  • compactadores. 

Aquele profissional que executa tarefas envolvendo vibração ocupacional durante alguma parte do seu dia está suscetível a dores musculares, náuseas, estresses, desconfortos abdominais, entre outros problemas. Se ele ficar por um tempo maior exposto a esse maquinário, as perturbações podem ser mais graves ao colaborador, podendo causar problemas degenerativos, cardíacos, danos ao sistema nervoso etc. 

Todos esses problemas acontecem com o indivíduo devido ao fato de os equipamentos amplificarem a vibração natural do corpo. Isso causa desequilíbrios, prejuízos ao bem-estar e à qualidade de vida, além de acontecer alterações no fluxo sanguíneo. A partir de todo esse contexto, torna-se essencial optar por equipamentos de proteção individual que amenizarão essas situações, como a luva antivibração. 

O que é a luva antivibração?

Como dito, esse EPI tem como objetivo proteger o colaborador de alguns problemas decorrentes da vibração ocupacional. Logo, é um item que garantirá a segurança física de seu usuário durante a execução de trabalhos que se encaixam nessas categorias. 

É um dispositivo de proteção obrigatório, constado na Norma Regulamentadora de número 6 (NR 6). Essa norma exemplifica quais são os EPIs necessários para garantir a saúde e segurança do funcionário, obrigando o empregador ou o gestor a oferecer esses itens ao colaborador para que ele tenha a sua integridade garantida. 

É necessário entender que a vibração do corpo de um indivíduo é considerada um processo natural. No entanto, assim como qualquer outra questão, quando amplificada por uma frequência externa — como os maquinários —,  pode causar um intenso desequilíbrio ao funcionário. Como consequência, ele terá prejuízos no seu bem-estar, qualidade de vida e para a sua saúde. 

Sendo assim, comprova-se a importância da luva antivibração para o contexto da pessoa. Caso você seja um gestor ou empregador, ao mapear os riscos em seu negócio e entender que a vibração é um deles, não hesite em oferecer tais materiais aos seus profissionais, uma vez que garantirá um trabalho mais eficiente e que seja saudável para o seu dia a dia laboral. 

Quais as principais doenças ligadas a esse risco?

A seguir, selecionamos quais são as principais doenças ligadas a esse risco. Veja!

Síndrome de Raynaud

Considerada uma das principais doenças associadas ao problema da vibração ocupacional, a síndrome de Raynaud também é conhecida como dedo branco, uma vez que oferece uma aparência esbranquiçada nas extremidades dos dedos em consequência das alterações ocorridas na circulação sanguínea. Além disso, o colaborador pode ter perda de sensibilidade nos dedos, prejudicando inclusive o seu cotidiano profissional. 

Entre os outros sintomas da síndrome, destacamos:

  • sensações de dor e queimação;
  • sensações de frio;
  • alterações intermitentes da cor dos dedos quando estiver em exposição ao frio, ao estresse emocional e à vibração; 
  • parestesias. 

O tratamento dessa síndrome pode ser iniciado já, evitando as condições deflagradoras, como estar exposto às vibrações. Além disso, recomenda-se evitar o tabagismo e a ingestão de bloqueadores de canais de prazosina ou cálcio. 

Outros problemas relacionados à vibração ocupacional

A vibração ocupacional pode desenvolver no colaborador alguns sérios problemas de saúde. Tudo isso dependerá do quanto ele está exposto às vibrações e como é o seu sistema imunológico.

Além da síndrome apresentada, esse risco pode ocasionar em perda de equilíbrio constante, além da falta de concentração em tarefas diárias. Como consequência, o trabalhador pode se envolver em acidentes devido a essas características desenvolvidas, trazendo transtornos para a empresa. 

A exposição às vibrações também ocasionam desordens gastrointestinais e aumento da frequência cardíaca, desenvolvendo outros problemas relacionados ao sistema circulatório. É possível, ainda, ocasionar perda de controle muscular e distúrbios visuais, tornando a visão turva.

A descalcificação de pequenas áreas dos ossos também é um fator desenvolvido por essa exposição, além de possíveis lesões na coluna vertebral e da degeneração gradativa de todo o tecido muscular e nervoso. 

Como podemos perceber, os males causados pela exposição sem a proteção necessária são muitos, comprovando a importância de uma empresa ter atenção nessas questões para a saúde e segurança do funcionário

O que pode ser feito para reduzir esses efeitos?

Como dito, a luva antivibração funciona como uma importante aliada para que o colaborador tenha esses efeitos sob o seu corpo reduzidos. No entanto, é possível utilizar outras estratégias que aumentarão a eficácia desse EPI. Entre elas, é preciso considerar um período adequado de repouso ao funcionário para que ele possa automassagear os dedos e os braços.

Além disso, é necessário estar sempre atento com os treinamentos e a capacitação dos colaboradores, com o objetivo de que eles utilizem os equipamentos de maneira correta e minimize danos à saúde. 

No treinamento, a empresa pode abordar temas como: 

  • recomendar ao trabalhador não fazer mais força do que o necessário para utilizar equipamentos;
  • como manuseá-los de maneira correta;
  • como identificar e alertar gestores e coordenadores sobre a necessidade da manutenção de máquinas etc. 

Como podemos perceber, a vibração ocupacional é um dos muitos riscos que o colaborador está sujeito a seu dia a dia de trabalho. Para que a empresa esteja em dia com as normas e com as leis necessárias para a saúde e segurança do funcionário, é essencial estar atenta a questões como esta para oferecer aos trabalhadores os equipamentos necessários, e a luva antivibração é uma ferramenta fundamental. 

Identificou que o seu negócio precisa de um produto como esse? Entre em contato conosco e converse com alguém de nossa equipe! Oferecemos equipamentos de proteção individual para empresas de diversos ramos.

Powered by Rock Convert