O objetivo de todo técnico de segurança no trabalho é manter a saúde e a integridade física dos colaboradores e, para isso, existem 36 normas regulamentadoras em nossa constituição trabalhista, que estipulam exigências para que as empresas proporcionem um ambiente de trabalho seguro e produtivo aos seus funcionários.

Infelizmente, muitas instituições não entendem a importância da segurança do trabalho, deixando todas as responsabilidades dessa área a cargo do técnico de segurança para que, assim, possam se empenhar em outras questões que julgam mais relevantes.

Por isso, no artigo de hoje mostraremos os principais motivos para que os empresários reforcem o setor de segurança no trabalho do empreendimento. Continue a leitura do conteúdo para conferir!

1. Mantém o ambiente de trabalho mais organizado

Antes de mais nada, é necessário entender que quando se trata da segurança no ambiente operacional da empresa, estamos nos referindo a um investimento e não a despesas desnecessárias, concorda?

Um local de trabalho seguro e livre de riscos pode beneficiar toda a logística do negócio, tornando a rotina dos funcionários mais organizada e, é claro, produzindo mais resultados.

Quando se minimiza o índice de acidentes é possível obter ganhos exponenciais de produção, já que os trabalhadores sentem mais confiança em realizar as suas funções no estabelecimento.

2. Reduz custos

Se existe um aspecto que reforça a importância da segurança do trabalho nas empresas e que chama a atenção de qualquer empresário é a exponencial redução de custos.

Uma ação preventiva consequente dos investimentos em segurança do trabalho gera menores gastos e diminuição custos com afastamentos, ações judiciais e materiais, por exemplo.

Portanto, é correto afirmar que um ambiente seguro de riscos é capaz de manter a atenção do trabalhador totalmente voltada à sua tarefa, evitando possíveis prejuízos materiais e minimizando os riscos de acidentes.

Para que você tenha uma breve noção, mostraremos alguns dos gastos que são reduzidos e até mesmo evitados com uma política de segurança no trabalho eficiente implementada nos negócios. Dentre eles, podemos citar:

  • despesas com acidentes;

  • gastos com transporte de funcionários acidentados;

  • custos com afastamentos decorrentes de doenças e acidentes ocupacionais — os primeiros 15 dias de afastamento são custeados pela empresa;

  • despesas com contratação de mão de obra temporária para substituir o lugar deixado pelo funcionário afastado;

  • prejuízos materiais — é comum que em ocorrências de acidentes produtos e maquinários acabem sendo danificados e até mesmo inutilizados;

  • custos com reabilitação do servidor — o retorno de um trabalhador que sofreu um acidente de trabalho, às vezes, pode ser problemático e levar um tempo para que ele retome sua capacidade laborativa normal, produzindo menos e gerando menos resultados. Vale lembrar que durante este período, ele permanece blindado pela estabilidade de um ano, segundo a Lei nº 8.213/91, art. 118;

  • prejuízos com indenizações e ações na justiça trabalhista — acidentes que geram perdas podem causar ações na justiça.

Além do fato de que a firma tem a sua imagem afetada no mercado em que atua. Afinal, há um desinteresse geral em fazer negócios ou adquirir produtos com companhias que não prezam pela segurança de seus colaboradores, não é verdade?

Responsabilidade social é um “pré-requisito” nos dias atuais e tanto os consumidores, quanto os empresários devem ficar atentos a essa questão.

3. Minimiza o índice de acidentes na empresa

Definitivamente, este é o ponto alto da segurança do trabalho. Por meio de ações e estratégias desenvolvidas pelos técnicos de segurança do trabalho, é possível evitar ocorrências e minimizar ao máximo os acidentes e doenças ocupacionais.

O foco dessas estratégias é implementar ações preventivas e eliminar as possibilidades de acidentes e riscos laborais que podem prejudicar não somente a integridade física e a saúde dos indivíduo, como também afetar a empresa como um todo.

Isso significa que existem muitos aspectos que corroboram a importância da segurança do trabalho e os investimentos nesse setor.

4. Aumenta a produtividade e qualidade do trabalho

O sentimento de proteção que os funcionários têm quando toda a equipe se empenha em integrar ações preventivas no trabalho, é capaz de elevar a produtividade e, consequentemente, a qualidade do ambiente operacional da instituição, pois a eliminação de riscos permite o foco na execução do trabalho realizado.

Afinal, ninguém que trabalha com o receio de se acidentar gravemente pode produzir de maneira eficiente, concorda? Por isso, um ambiente seguro proporciona melhores resultados e clientes mais satisfeitos, como em uma espécie de ciclo.

A empresa que se compromete a reforçar a segurança de seu lugar laboral demonstra importância com a saúde e o bem-estar de seu quadro de trabalhadores, e este se torna um local de trabalho saudável e propício ao conceito de equipe.

5. Otimiza a imagem da empresa no mercado

Como foi dito, uma instituição que consegue minimizar seu índice de acidentes de trabalho, agrega valor à sua imagem no mercado e melhora a sua credibilidade com os consumidores e possíveis investidores.

Um negócio que demonstra ter responsabilidade social e respeito pela vida, faz um eficiente trabalho de otimização em sua credibilidade e, consequentemente, projeta uma imagem positiva de si.

Quais ferramentas podem ajudar a reforçar a segurança no trabalho?

Existe uma série de ferramentas e recursos que podem ajudar o empresário a reforçar a importância da segurança do trabalho em seu negócio. Por isso, separamos as principais para que você possa conferir.

  • Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (PCMAT): é obrigatório em operações com 20 ou mais servidores e foca em medidas preventivas para todas as etapas da obra;

  • Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA): consiste em um grupo de colaboradores que atuam com medidas e ações preventivas contra acidentes de trabalho. Metade deve ser composta por membros eleitos pelos funcionários e a outra metade indicada pelo empresário;

  • Treinamento de Integração: trata-se do treinamento que é ministrado aos empregados recém-contratados. O intuito é familiarizá-los com as medidas e procedimentos de sua função, incluindo os cuidados referentes à sua segurança e a de seus companheiros de trabalho;

  • Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA): é um sistema para identificação de riscos no ambiente laboral, com a intenção de implementar as melhores práticas preventivas e correções adequadas no local de trabalho.

Agora que você já conhece os principais motivos para reforçar a segurança do trabalho em sua empresa, aproveite para nos seguir no Facebook e acompanhar mais conteúdos exclusivos!

Powered by Rock Convert