Qualquer processo produtivo envolve riscos, de maior ou menor nível, que podem impactar o fluxo operacional e, claro, a qualidade do produto final. Quando esses riscos afetam a saúde das pessoas o problema se agrava, tornando imprescindível a identificação, avaliação e controle da maneira mais rápida possível. Para preveni-los, é essencial investir em segurança no trabalho.

Na indústria farmacêutica essa preocupação deve ser central na estratégia da empresa ou laboratório. Afinal, o objetivo central da área é a preservação da saúde dos consumidores dos medicamentos produzidos.

Nesse sentido, uma das ferramentas mais eficazes para se detectar perigos e corrigir deficiências do processo de produção de medicamentos é a análise de riscos, visto que ela garante uma maior profundidade ao estudo ao ter como premissa central a criticidade.

Quer aprender mais sobre o tema? Neste artigo falaremos sobre o papel da análise de riscos e quais são as medidas mais importantes para garantir a segurança no trabalho no setor farmacêutico. Continue acompanhando!

Realize uma Análise de Riscos

Praticamente todos os eventos da vida têm algum tipo de risco envolvido, em alguns casos mais ou menos, mas sempre haverá uma probabilidade de riscos potenciais. Em empresas o assunto não é diferente, dependendo do tipo de negócio praticado, os riscos envolvidos podem ser grandes, como é o caso do setor farmacêutico.

A análise de riscos é uma ferramenta que auxilia diretamente os gestores da empresa nas tomadas de decisões sobre a segurança no trabalho, ao identificar todos os riscos que envolvem o local e definir quais são as melhores soluções de acordo com a realidade vivida no cotidiano do trabalhador.

Cumpra as normas de segurança internacionais

No setor farmacêutico, o conceito de análise de riscos foi adaptado (em 2003) da indústria de alimentos e aeroespacial. Essa adaptação foi feita pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em uma aliança com organizações, como a International Organization for Standardization (ISO) e a International Conference on Harmonisation of Technical Requirements for Registration of Pharmaceuticals for Human Use (ICH).

A partir daí, o gerenciamento de riscos e a análise foram ajustados e posteriormente aplicados em escala global, determinando parâmetros para a fabricação de medicamentos para a saúde humana e veterinária.

Esses parâmetros colaboraram para a implantação e o gerenciamento de riscos na qualidade (GRQ) para garantir uma melhor condição aos medicamentos vendidos para os pacientes. O uso do GRQ no setor farmacêutico foi facilitado com a publicação do guia ICH-Q9, que permite avaliar todos os riscos envolvidos em todas as etapas de produção e fabricação de medicamentos.

Promova a cultura de uso dos equipamentos de proteção individual

Vale lembrar que implantar a análise de riscos não é o suficiente para garantir a segurança no trabalho no setor farmacêutico. Os equipamentos de proteção individual (EPI) são fundamentais para esse fim, quando envolvidos na fabricação de medicamentos.

A Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho em estabelecimentos de assistência à saúde, NR 32 do Ministério do Trabalho e Emprego, diz que todos os equipamentos de proteção individual devem ser armazenados em número suficiente, sendo eles descartáveis ou não, para garantir a reposição sempre que for necessário.

Essa norma determina que os EPIs devem garantir a proteção da pele, mucosas, via respiratória e digestiva e os olhos do trabalhador, e que também seja avaliado diariamente o estado de conservação e segurança e que fiquem armazenados em locais de acesso facilitado.

A norma especifica diz que todos os locais de trabalho, onde se utiliza materiais perfurocortantes, devem oferecer recipientes apropriados para descarte, conforme foi estabelecido na NBR 13853, norma brasileira registrada no Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Vale lembrar que os profissionais que utilizarem os objetos cortantes devem ser os responsáveis pelo descarte adequado do material.

Treine sua equipe periodicamente

O treinamento pode ser a alma do negócio, principalmente quando a segurança no trabalho no setor farmacêutico é primordial. Sua equipe precisa estar sempre ciente das melhores práticas para garantir um local de trabalho seguro.

Promova treinamentos trimestrais, lembrando de garantir um espaço para que os funcionários participem de forma proativa, trazendo sugestões para otimizar os processos de fabricação e colaborando entre si.

Para que o treinamento da equipe seja completo, alguns procedimentos precisam ser estritamente cumpridos, como a legislação local para sinalização, hidrantes, extintores, detectores de fumaça, gás e calor, sistemas de alarmes e sistemas de combate automáticos.

Tenha sempre os EPIs adequados para o laboratório

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são essenciais para garantir a segurança no trabalho. A seguir, listaremos quais são os itens mais importantes para a área da saúde. Confira:

Para a cabeça

  • protetores faciais para a região dos olhos e da face, que protegem de lesões que podem ser causadas por partículas, vapor de produtos químicos, respingos e radiações luminosas intensas;

  • protetores para os olhos (óculos), de ferimentos advindos do impacto de partículas rígidas ou tóxicas.

Para os membros superiores

  • mangas, luvas e cremes de proteção para situações em que haja o risco de contato com produtos abrasivos, escoriantes, perfurantes ou cortantes.

Para os membros inferiores

  • calçados impermeáveis com resistência a riscos químicos ou agentes biológicos agressivos;

  • calçados que protegem contra riscos de origem elétrica.

Para o tronco

  • proteção contra riscos de origem radioativa, o que inclui capas, aventais, máscaras, entre outros.

Para a pele

  • cremes de proteção com certificados de aprovação (CA) do Ministério do Trabalho e Emprego que os atestem como EPIs.

Para as vias respiratórias

  • respiradores com proteção para poeira, respiradores e máscaras com filtro químico que protejam contra a exposição a agentes químicos que causam danos à saúde.

A utilização desses Equipamentos de Proteção Individual é imprescindível para que a segurança no trabalho em um laboratório, empresa ou farmácia seja garantida. Além disso, lembre-se que orientar a sua equipe em relação a utilização desses equipamentos é tão importante quanto tê-los em estoque, combinado?

E então, entendeu como garantir a segurança no trabalho farmacêutico? Para continuar a otimizar a segurança do ambiente, não deixe de conferir nosso artigo sobre como conservar os equipamento de segurança!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert