No Brasil, são registrados anualmente mais de 700 mil casos de acidentes de trabalho. Segundo o Art. 19 da lei 8.213/91, esse tipo de situação ocorre quando, pelo exercício do trabalho em prol da empresa, o colaborador sofre lesão corporal ou perturbação funcional, além da perda ou redução da capacidade para o exercício normal de suas atividades. 

Portanto, trata-se de uma ocorrência que interrompe ou interfere no desempenho de uma função. Como consequência, há a perda de tempo útil, lesões aos trabalhadores e/ou danos materiais.

A partir desse contexto, abordaremos, a seguir, como fazer uma investigação de acidente de trabalho. Continue a leitura e confira! 

O que é considerado acidente de trabalho? 

A já citada lei classifica três tipos de acidentes de trabalho. São eles:

  • o acidente típico, que ocorre no horário de almoço em uma queda de escada, por exemplo;
  • o acidente de trajeto, que acontece no caminho de casa para o trabalho (ou vice-versa);
  • o acidente de trabalho atípico — doença que é ocasionada por consequência das atividades laborais.

Além disso, são considerados acidentes de trabalho aqueles que, embora não tenham uma única causa, contribuíram significativamente para a morte do segurado, reduziram ou causaram perda das capacidades ou, até mesmo, produziram lesões que exigiram atenção médica para a recuperação. Outros fatores considerados são: 

  • ato de agressão ou sabotagem; 
  • ofensa física intencional; 
  • ato de imprudência;
  • desabamentos, inundações ou incêndios;
  • doença proveniente de contaminação acidental. 

O que não se enquadra nessa modalidade? 

Em relação ao que não é tido como acidente de trabalho, podemos citar doenças degenerativas, doenças inerentes à faixa etária do segurado e problemas que não produzam incapacidade laboral.

Além delas, doenças endêmicas adquiridas na região onde o colaborador mora também não são consideradas. No entanto, caso sejam resultantes da exposição ou do contato ocasionados diretamente pela natureza do trabalho, casos do tipo tornam-se exceções. 

Como fazer a investigação de acidente de trabalho?

A investigação de acidente de trabalho tem como objetivo descobrir as principais causas do ocorrido. A partir disso, a empresa estuda maneiras de eliminá-las, evitando que se repitam. O processo envolve três fases principais: 

  • coleta de informações;
  • diagnóstico da ocorrência;
  • propostas de medidas corretivas. 

O local do acidente

Antes mesmo das entrevistas, faça um esforço para ser o primeiro a chegar ao local do acidente. Isso garantirá um ambiente livre de alterações, contribuindo para uma análise mais precisa do que deu errado e provocou o problema. Anote os detalhes que julgar mais importantes, pois eles farão toda a diferença. 

As entrevistas

Ao buscar as causas do acidente, além de analisar cuidadosamente o local do ocorrido, o interessante é que a empresa converse com o acidentado, as pessoas que presenciaram o acidente ou os colegas do mesmo setor. Também vale entrevistar o coordenador do turno e o serviço médico que prestou os primeiros socorros à vítima. 

Caso seja necessário, vá com a testemunha ao local. Por meio das descrições, descubra onde estava e compare com a posição da vítima, além dos movimentos que deram origem ao acidente. Caso o ocorrido envolva queda, tenha em mente a altura (assim como a altura da queda de materiais, se esse for o caso). Quanto mais detalhes houver, melhor. 

Não imponha limites a essa conversa e entreviste quantas pessoas julgar necessário, anotando todas as informações mais precisas. Isso garantirá que você não perca nenhum fato que possa ser decisivo para chegar aos motivos do ocorrido. 

Coletadas as informações, incluindo todos os fatores que precederam e sucederam o acidente, é possível analisar e comparar os depoimentos, apurando as causas reais para propor esforços e estudar maneiras de eliminá-las. As investigações visam, portanto, apurar:

  • O que aconteceu?
  • Como aconteceu?
  • Por que aconteceu? 
  • Como a situação poderia ter sido evitada? 

Quais são os principais fatores que levam a um acidente de trabalho?

Os acidentes de trabalho decorrem de uma variedade de situações. Essa multiplicidade exige uma séria análise de fatores ambientais, materiais e humanos. Entre eles, há os fatores ambientais de risco, que são desencadeados em períodos diversos, trazendo condições insalubres e perigosas como consequências. 

Os maus hábitos relacionados à proteção pessoal diante dos riscos também estão entre essas questões, além do desconhecimento de determinadas operações e dos perigos que oferecem

Vale lembrar que os acidentes não ocorrem por acaso, surgindo a partir de contextos e processos relacionados. Portanto, a prevenção desses imprevistos necessita de mais do que apenas as providências tomadas pela própria empresa: é essencial a colaboração de todos para o benefício de cada um. 

O que fazer após a conclusão das análises?

A partir desse ponto da investigação, a maior parte dos fatos em relação ao que (e como) ocorreu já deve ser conhecida pela empresa. Dessa maneira, para prevenir a ocorrência de acidentes similares com outros colaboradores, os gestores devem ter em mente todas as respostas para a questão: “por que aconteceu?”. 

Quando a análise estiver completa, é necessário registrar todas as etapas e as conclusões do problema ocorrido em um relatório. Entre os processos anotados em tal documento, deve constar aquilo que aconteceu desde o momento do acidente, com as possíveis causas em cada situação. 

No entanto, se a empresa em questão contar com um formulário padrão, você terá poucas chances de escolher a maneira com que escreverá suas conclusões. Uma dica fundamental para concluir esse processo é fazer recomendações a todos os colaboradores.

Se estiver a par dos procedimentos de trabalho envolvidos na companhia em que atua, não será difícil estabelecer dicas realistas. Elas devem, portanto: 

  • ser construtivas;
  • ser específicas;
  • conseguir causar reflexão;
  • identificar outros fatores que levaram ao acidente;
  • permitir aos colaboradores uma mudança de hábitos no dia a dia de trabalho. 

Como você pôde perceber, fazer uma investigação de acidente de trabalho é uma tarefa que envolve diversas etapas e processos. É preciso estar por dentro de todas essas situações, com o objetivo de identificar as principais causas e traçar estratégias para que episódios semelhantes não voltem a ocorrer. 

Caso tenha considerado este conteúdo útil, compartilhe-o nas redes sociais e ajude a levar informação a seus contatos. Afinal, conhecimento nunca é demais! 

Powered by Rock Convert