O capacete de segurança é um equipamento de proteção individual que tem como objetivo proteger o colaborador contra impactos e ferimentos provocados pela queda de materiais, sendo um item essencial para garantir o bem-estar do funcionário.

Os EPIs, hoje, se tornaram itens indispensáveis no dia a dia dos profissionais que operam em áreas que oferecem riscos à saúde e à integridade física. Caso eles sejam bem conservados e utilizados da maneira correta, diminuem drasticamente as chances de ocorrerem acidentes graves, além de aumentar a produtividade do funcionário.

Neste post, você vai entender como escolher um capacete de segurança adequado e qual é a sua importância. Além disso, também vai conferir dicas de uso, além de conhecer os erros mais comuns referentes a esse EPI. Boa leitura!

Qual é a importância dos capacetes de segurança?

O capacete de segurança é um equipamento de EPI essencial para a proteção pessoal, com o objetivo de diminuir riscos de ferimentos mais graves em casos de acidentes. É muito utilizado em atividades das mais diversas áreas industriais, além de segmentos da construção civil, uma vez que os modelos dispõem, em graus variados, de isolamento elétrico para a cabeça.

Além disso, muitos EPIs como esse contam com acessórios, como protetores auditivos ou faciais acoplados à sua base, visando oferecer mais proteção ao usuário. Qualquer equipamento de proteção individual é importante quando se trata de prevenção de acidentes no trabalho. No entanto, é preciso ter a consciência de que a cabeça é uma das partes mais expostas, especialmente no caso dos trabalhadores da construção civil. 

Dessa forma, dependendo do modelo do capacete de segurança, outras finalidades podem ser destacadas, como:

  • proteção do rosto;
  • proteção do pescoço e ombros contra prováveis respingos e vazamentos;
  • proteção contra choques elétricos;
  • proteção contra queimaduras.

Analisando o ranking sobre os países que mais registram acidentes ocupacionais, o Brasil está em quarto lugar no mundo, ficando atrás apenas da China, Índia e Indonésia, respectivamente. Entre os casos mais graves, os que envolvem a área da cabeça constam como principais, reforçando a necessidade e a importância desse EPI.

Quais são as dicas para o uso e os erros mais comuns?

Sempre que recebe algum equipamento de proteção individual, cabe ao colaborador entender como utilizá-lo e preservá-lo, além de compreender como manter a integridade do equipamento e reduzir os riscos de acidentes.

Como qualquer outro equipamento, o seu uso incorreto pode resultar na diminuição da eficácia. Entre os erros mais comuns, destacamos:

  • utilizar o capacete de segurança junto com o boné;
  • utilizar sem fazer o ajuste adequado ao tamanho da cabeça (cerneira);
  • utilizar sem jugular;
  • guardar o capacete de segurança de maneira errada. 

Além de todos esses equívocos, por também fornecerem proteção ao rosto, é preciso que eles estejam sempre com a aba frontal virada para frente. 

Como guardar o capacete de segurança de maneira adequada?

Os capacetes de segurança precisam ser mantidos em boas condições e trocados sempre que necessário. Sendo assim, é de responsabilidade do colaborador e da empresa garantir que o uso adequado desse EPI seja feito durante todo o expediente de trabalho. 

Para guardá-lo de maneira adequada, é preciso que ele não seja colocado perto de produtos que tenham potencial contaminante e abrasivo. Além disso, não é recomendável que fique em ambientes expostos ao sol, pois o calor excessivo tende a enfraquecer o casco, comprometendo a segurança do equipamento e a sua resistência.

Inspecione o casco regularmente e as demais partes visando encontrar sinais de perfurações, fissuras, deterioração, abrasão etc. Lembre-se ainda de exigir a troca imediata, caso o material esteja com algum tipo de danificação. A suspensão deve ser inspecionada continuamente para verificar se existem sinais de deformação ou rasgamento.

Por fim, recomenda-se que utilize apenas água e sabão para a limpeza do casco. Ao fazer uma boa higienização, as chances de prolongar a vida útil do equipamento aumentam consideravelmente. Realizando todos esses procedimentos de maneira eficiente, você contribuirá para que a empresa reduza custos, além de aumentar a própria produtividade e segurança. 

Como escolher um capacete de segurança adequado?

Com o objetivo de escolher o capacete de segurança adequado, é preciso entender as diferenças existentes entre eles. Você confere, a seguir, quais são os tipos de capacetes mais comuns!

A estrutura do capacete

O capacete geralmente tem o mesmo tipo de formato. O casco, na maioria dos casos, é feito de polietileno de alta resistência, sendo a parte rígida do equipamento formada por copa e aba. A suspensão é a armação do interior do capacete, constituída por coroa e carneira. 

Como alguns modelos suportam acessórios para a segurança do colaborador, essa é uma parte opcional do EPI destinada à fixação de equipamentos complementares. Segundo a norma ABNT NBR 8221, os capacetes têm uma classificação de acordo com o seu formato e a capacidade de resistência a choques. 

O formato aba total, tipo I

Esse formato é semelhante a um chapéu. A aba costuma se estender por todo o contorno do casco, oferecendo mais proteção à face, ao pescoço e aos ombros do usuário. 

O formato aba central, tipo II

Esse apresenta um formato de boné. A aba fica apenas na parte frontal do rosto, com o objetivo de proteger a face e os olhos. 

O formato sem aba, tipo III

Como o próprio nome já diz, não tem aba por todo o perímetro do casco. Isso permite mais agilidade em locais cujo espaço é mais reduzido, facilitando movimentos da cabeça e a visão angular. 

Além desses tipos, os capacetes de segurança podem ser classificados em Classe A — para uso geral, exceto nos trabalhos com energia —  e Classe B — para uso geral, incluindo os trabalhos com energia elétrica.

Quais são as cores dos capacetes de segurança?

As cores dos capacetes de segurança seguem um padrão de acordo com as funções do colaborador. Confira, a seguir, o padrão mais utilizado pelas empresas:

  • branco/cinza: engenheiros, técnicos, mestre de obras, encarregados e estagiários;
  • verde: armadores, operários e serventes;
  • azul: pedreiros de obras;
  • vermelho: carpinteiros e bombeiros;
  • laranja: eletricistas;
  • amarelo: visitantes;
  • marrom: carpinteiros e visitantes;
  • preto: operador de máquinas, além de técnicos em segurança do trabalho. 

Ao ler este conteúdo, você pôde ter acesso a informações sobre a importância do capacete de segurança, como armazená-lo de maneira eficiente e como escolher o mais adequado.

É preciso ter em mente que todo equipamento de proteção individual é fundamental para a segurança do colaborador, sendo necessário, ainda, entender como se manuseia e como guardá-lo de maneira adequada.

Agora que você sabe como escolher um capacete de segurança, caso tenha se interessado pelo assunto, entre em contato com algum profissional da nossa equipe!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert