O treinamento de segurança do trabalho em altura ainda é uma necessidade latente entre as empresas que dispõem desse tipo de atividade. E o motivo é simples: estamos falando de um fator que é responsável pela maioria dos acidentes fatais nesses ambientes.

O principal foco da capacitação é o estudo completo das Normas Regulamentadoras (NR) 35 e 18, já que elas tratam das condições das indústrias de construção. É a NR 35 que determina os requisitos mínimos e as principais estratégias para a proteção em tal tipo de trabalho.

Por isso, é preciso que todo o público envolvido diretamente com tal operação possa planejar e executar o serviço em altura com base nesse texto e no conhecimento compartilhado com a vivência prática.

Se você tem dúvidas sobre a elaboração correta do treinamento de segurança do trabalho especializado em altura, leia este artigo até o final. Prepare-se para garantir a segurança e a saúde de sua equipe!

Por que o treinamento de segurança do trabalho é importante?

Antes de dar dicas sobre como elaborar as aulas, é preciso lembrar que qualquer tipo de atividade realizada acima de dois metros do chão, com riscos de queda, é considerada trabalho em altura.

Se a empresa realiza operações dentro dessa faixa de risco, todo cuidado é pouco. O treinamento de segurança atrai vantagens para as companhias e os indivíduos que desempenham a função. Sendo assim, todos saem ganhando.

Para os empregados, a capacitação é uma ótima fonte de conhecimento sobre as medidas e os procedimentos certos para a prevenção contra perigos da função. Já no caso dos empregadores, além de contribuir para que vidas sejam poupadas de qualquer tipo de risco, o curso agrega valor à marca, contribuindo para seu sucesso e desenvolvimento.

Dentre os principais benefícios do treinamento de segurança do trabalho em altura, temos: 

  • o aumento da produtividade;
  • a redução de custos;
  • a queda do índice de acidentes de trabalho;
  • o aumento da qualidade do serviço e do produto;
  • uma maior motivação entre os funcionários;
  • a queda do índice de doenças ocupacionais;
  • a conformidade com a lei referente à segurança do trabalhador;
  • um sentimento de bem-estar no ambiente de trabalho.

Como elaborar um?

Defina o objetivo e o cronograma

Se você pensa em criar esse tipo de treinamento, já sabe da necessidade de tal passo na empresa. Portanto, para elaborar um projeto de capacitação bem-sucedido, é preciso alinhar, primeiramente, os objetivos desejados.

Nesse tipo de curso, a principal meta é fazer com que os colaboradores entendam as normas envolvidas, aprendendo a aplicar todas as medidas de segurança no dia a dia de trabalho. Em grande parte dos casos, o treinamento é separado em alguns módulos e pode ser oferecido dentro da própria empresa, com aulas teóricas e práticas.

Vale dizer que as classes precisam ser ofertadas periodicamente, incluindo as atualizações necessárias. Não se esqueça de que, além dos procedimentos recomendados, o treinamento de segurança do trabalho tem que abordar as técnicas de avaliação dos riscos, as práticas de manutenção dos equipamentos e os procedimentos de emergência para caso de acidentes.

Esteja ciente das normas

Você não pode projetar um treinamento desse nível sem contar com um profissional devidamente habilitado.

Mesmo sendo técnico ou engenheiro em segurança do trabalho, o que determina se uma pessoa pode ministrar tal treinamento com base na NR 35 é a certificação em um curso de Instrutor para Trabalhos em Altura ou, então, alguma proficiência descrita na própria norma.

O curso, somado à prática de campo, habilitará o profissional a transferir conhecimento. Nesse caso, lembre-se de que tudo relacionado à segurança do trabalho requer provas. Por isso, guarde os comprovantes dos cursos presenciais ou online e de qualquer palestra ligada ao assunto.

Se tiver algum registro mencionado em carteira de trabalho, apresente-o. Quanto mais provas, melhor. É a NR 35 que estabelece a necessidade da supervisão de um profissional capacitado durante o treinamento. Por isso, se toda a capacitação não só considerará o texto da legislação, mas o estudará a fundo, não há como escapar das exigências.

Treine para engajar

A verdade é que você não vai conseguir um resultado satisfatório se os colaboradores não entenderem o real valor do ensino. Muitas vezes, o treinamento é uma verdadeira oportunidade para os técnicos e gestores conhecerem melhor os trabalhadores, ouvindo aquilo que têm a dizer.

Portanto, faça o possível para criar um treinamento que mantenha a equipe engajada (e não separada). Essa tarefa não é fácil, pois depende do quanto você conseguirá expressar a necessidade alarmante de uma capacitação para impedir os riscos.

Planeje as etapas do ensino e tome cuidado para que o conteúdo não seja passado de forma engessada. Quanto mais os colaboradores se reconhecerem dentro das exemplificações e simulações planejadas, mais chances terão de se manter atentos e motivados pela segurança do trabalho. A chave é o planejamento estratégico.

Tenha EPIs em boas condições

Como você bem sabe, o trabalho em altura envolve riscos consideráveis. Infelizmente, se acontece um acidente, ele quase sempre é fatal. Dessa maneira, você precisará dedicar um bom tempo reforçando a necessidade do uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). 

Verifique antecipadamente se os equipamentos da empresa estão em boas condições de uso, para não passar vergonha durante as aulas. Aproveite para revisar a NR 35 e conferir quais são os EPIs necessários para seu ramo de atuação, como:

  • trava-quedas;
  • cinto de segurança;
  • capacete de proteção;
  • cadeira suspensa;
  • talabarte etc.

Os funcionários treinados com o curso devem aprender a manusear corretamente os equipamentos de segurança. Ensinar como pensar e agir de forma rápida em casos de falha ou defeito também faz parte do processo.

Esteja pronto para passar seu conhecimento adiante

O que capacita alguém como instrutor de um treinamento de segurança do trabalho em altura é o conhecimento prático e teórico a respeito de cada item obrigatório (segundo as normas). Esteja preparado para transferir esse saber a seus funcionários, visando sempre à prevenção.

Um bom treinamento é aquele no qual os alunos se sentem abastecidos e cientes de como executar os ensinamentos na prática. Por isso, garanta que o instrutor não meça esforços para mostrar o que é seguro e o que pode ser feito em todas as ocasiões possíveis.

Fique de olho em todo o conteúdo ministrado e, se necessário, faça adaptações para que ele corresponda à norma sem deixar brechas.

Quer ficar por dentro de outros temas tão importantes quanto o treinamento de segurança do trabalho? Então, curta nossa página no Facebook!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert