Se existe uma doença ocupacional que afeta grande parte dos trabalhadores brasileiros é a perda auditiva. Provocada pelo excesso de exposição a ruídos no ambiente de trabalho, a estimativa é de que, pelo menos, cinco a cada dez profissionais da indústria sofram com algum grau desse problema.

Segundo o Ministério do Trabalho, qualquer atividade comercial que ultrapasse os 85 decibéis em uma jornada de trabalho de oito horas é considerada insalubre. Isso porque ruídos acima desse nível podem prejudicar não somente a saúde auditiva do funcionário, como também afetar a produtividade e comprometer a segurança de toda a equipe.

Por isso, é muito importante utilizar um EPI adequado para minimizar e evitar ao máximo qualquer problema de saúde auditiva. Mas, para isso, qual é a melhor opção: protetor auricular ou abafador? É o que veremos neste post!

Por que o uso de um protetor auricular ou abafador é importante no ambiente de trabalho?

De fato, o ruído se encontra presente na maioria dos ambientes operacionais, independentemente de qual seja o segmento da empresa. Contudo, como dissemos, quando sua medida ultrapassa os 85 decibéis, ele se torna realmente prejudicial.

A surdez total, ou parcial, é o ápice dos danos que os ruídos no ambiente de trabalho podem causar, correto? Mas existem outros problemas de saúde muito sérios que podem ser desencadeados, ou agravados, no organismo do trabalhador pelo excesso de ruídos, como:

  • insônia;
  • desconforto;
  • ansiedade;
  • estresse;
  • irritabilidade;
  • depressão;
  • esquecimento;
  • tensão;
  • contração muscular.

Diante disso, é fundamental que os trabalhadores utilizem protetores auriculares ou abafadores ao longo de sua jornada, já que estes equipamentos de proteção individual (EPIs) protegem os ouvidos do barulho excessivo.

O que é um abafador?

Também conhecido como protetor tipo concha, o abafador é um equipamento de proteção para os ouvidos composto por duas conchas de espuma (na parte interna da cavidade), sendo interligadas por um arco. Embora a sua aparência seja muito parecida com a de um headset, sua função é justamente o oposto: bloquear a intensidade dos sons externos.

E entre as suas principais vantagens está o conforto, pois a maioria dos modelos pode ser ajustada pelo usuário, quanto ao arco e as almofadas, de modo que se encaixem melhor em sua cabeça.

Além disso, existem modelos de abafadores que têm as conchas com cores chamativas, para facilitar a vistoria e a padronização de uso por parte dos responsáveis, como técnicos de segurança do trabalho.

A quais segmentos os abafadores são indicados?

De acordo com a NR-6, esse tipo de equipamento de proteção individual é indicado para segmentos em que o ambiente de trabalho tem intensidade sonora a partir de 85 decibéis.

Lembrando que, ainda que o trabalhador utilize um abafador de ruídos, quanto maior for a intensidade sonora à qual ele for exposto menor deve ser o tempo permitido de exposição.

Para ambientes extremamente ruidosos, por exemplo, em que o tempo de trabalho permitido equivale a oito horas diárias, é comum que seja feita a utilização simultânea de um abafador tipo concha e um protetor auricular — mas falaremos sobre os protetores auriculares mais adiante no conteúdo.

Quais são as vantagens e desvantagens do abafador?

Para que o técnico de segurança no trabalho decida entre protetor auricular ou abafador como a melhor opção para o ambiente que está sob sua responsabilidade, é preciso considerar também os pontos positivos e negativos de cada EPI.

Vantagens do abafador em concha:

  • não necessita de ajustes complexos para colocação;
  • qualquer trabalhador pode utilizá-lo com facilidade;
  • facilita o trabalho de fiscalização, pois pode ser observado a grande distância;
  • é confortável em ambientes com baixas temperaturas;
  • é ajustável e pode ser manuseado mesmo com a utilização de luvas de proteção.

Desvantagens dos abafadores em concha:

  • seu tamanho inviabiliza que sejam carregados nos bolsos das roupas;
  • não pode ser guardado em caixas de ferramentas e espaços pequenos, mas apenas em lugares apropriados;
  • não é muito compatível com o uso de óculos pessoais ou EPIs para proteção dos olhos;
  • em ambientes e épocas quentes, seu uso pode ser bastante incômodo para os trabalhadores;
  • quando usado coletivamente, pode produzir contágio;
  • necessita de um local adequado para higienização.

O que é um protetor auricular?

Protetores auriculares tipo plug — ou protetores de inserção, como também são conhecidos — são EPIs designados para reduzir a exposição aos níveis perigosos de ruído ou outros sons indesejados, com o intuito de proteger o sistema auditivo.

Seu uso só pode ser implementado mediante o conhecimento e a aprovação dos setores responsáveis pela higienização, segurança e medicina do trabalho, ou do responsável pela empresa (técnico de segurança do trabalho).

O protetor auricular tem uma gama de variedades, podendo ser descartável, ou não, e moldável ou pré-moldável. Mas, para garantir a sua efetividade, ele deve ser usado da maneira correta.

Além disso, cada modelo tem um nível de redução de ruído diferente, indicado para segmentos em que os ruídos do ambiente de trabalho permaneçam entre 15 e 21 decibéis. Assim, é preciso verificá-lo no certificado de aprovação do EPI.

Quais são as vantagens e desvantagens de um protetor auricular?

É evidente que uma das maiores vantagens dos protetores auriculares tipo plug é o seu fácil manuseio e carregamento, por causa do seu tamanho.

Entretanto, cabe ao técnico de segurança no trabalho, ou do profissional responsável pelo setor, decidir qual é a melhor opção para o cotidiano operacional: se protetor auricular ou abafador. Até por isso, vale a pena destacar as vantagens e desvantagens de cada EPI.

Dentre as vantagens do protetor auricular de inserção, ou tipo plug, podemos citar:

  • pode ser manuseado ligeiramente por qualquer pessoa;
  • não interfere no uso de óculos pessoais ou EPIs para proteção dos olhos;
  • não produz inconvenientes por limitação de espaço;
  • não afeta o desempenho do trabalhador por conta da temperatura do ambiente;
  • em geral, é mais barato do que o abafador em concha;
  • é fácil de carregar.

Já as desvantagens do protetor auricular são:

  • é necessário tirar as luvas de proteção para manuseá-lo;
  • exige esterilização frequente;
  • só pode ser inserido em ouvidos sãos;
  • necessita de ajuste para cada diâmetro e longitude do canal auditivo externo;
  • dificulta o trabalho de monitoramento e fiscalização do técnico de segurança no trabalho;
  • pode ser facilmente perdido ou esquecido.

Quais cuidados o trabalhador deve ter ao colocar um protetor auricular ou abafador?

Seja qual for o modelo, para que o EPI tenha mais efetividade na segurança do trabalhador é importante que alguns aspectos sejam levados em consideração na hora de utilizá-lo, como:

  • após colocar o abafador em concha, é preciso verificar se a vedação está correta;
  • antes de expor o funcionário ao ruído do ambiente, verificar se o cabelo não está obstruindo a vedação entre o abafador e a orelha;
  • protetores auriculares devem sempre ser higienizados com água, mas, se o dispositivo for produzido em silicone, jamais seque-o ao sol;
  • seja o protetor auricular ou abafador, ambos não devem ser manuseados com as mãos sujas.

É importante ressaltar ainda que, além dos cuidados mencionados, o trabalhador deve ser submetido a exames de audiometria para controlar e evitar a perda de audição, por conta dos ruídos de sua atividade profissional.

Além disso, a empresa deve fornecer treinamentos e proporcionar informações a respeito dos riscos e de como evitá-los, como dados sobre qual EPI é mais adequado de acordo com a proximidade e a intensidade do ruído.

Enfim, gostou do nosso post? Ainda não sabe se deve utilizar protetor auricular ou abafador? Tem alguma experiência ou dica sobre o assunto que queira compartilhar com a gente? Deixe-nos o seu comentário!