Independentemente de qual seja o segmento de atuação no mercado ou porte da empresa, o fato é que todas devem saber como fazer um relatório de inspeção para avaliar os riscos e garantir um ambiente laboral seguro aos seus colaboradores.

Conhecer e avaliar os riscos ocupacionais de uma organização é o melhor caminho para otimizar os investimentos em segurança e saúde no trabalho, além de preservar a integridade física dos empregados e obter ganhos de produtividade.

Com base nesse contexto, podemos afirmar que um relatório de inspeção é um fator indispensável para conferir todas as metodologias operacionais, checar a eficiência e o uso dos EPIs, bem como avaliar as condições de trabalho, entre outros aspectos.

Continue a leitura do artigo para saber como fazer um relatório de inspeção para avaliação de riscos na sua empresa!

O que é um relatório de inspeção para avaliar os riscos?

Como fazer um relatório de inspeção de riscos sem conhecer detalhadamente o seu conceito, não é verdade?

Pois bem, de forma simplificada, é um documento que tem o objetivo de informar, por meio de um relato, as tarefas ou fatos executados, além de situações observadas pelo seu autor no ambiente de trabalho, nesse caso o técnico de segurança no trabalho.

A elaboração do relatório permite, aos profissionais responsáveis pela segurança ao meio ambiente laboral, a identificação de falhas potenciais que precisam ser corrigidas com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes de trabalho.

Para isso, é fundamental que o relatório seja desenvolvido com clareza e objetividade, de forma que as informações transmitidas possam ser compreendidas por todas as partes envolvidas.

Quais itens devem conter em um relatório de inspeção de riscos?

Determinados itens são fundamentais para que o relatório de inspeção de segurança do trabalho gere resultados assertivos, permitindo que a tomada de decisões dos técnicos de segurança seja melhorada.

Dentre os dados que não podem ficar de fora desse documento podemos citar os principais como:

  • informações da empresa — nome, endereço do estabelecimento, data do documento e o local em que a análise foi feita;
  • item de conformidade com as Normas Regulamentadoras — deve-se identificar a aplicação das NRs e o estabelecimento de suas políticas dentro da empresa;
  • irregularidades encontradas — o documento deve, necessariamente, conter todas as falhas e riscos potenciais encontrados para que possam ser corrigidos e o ambiente de trabalho otimizado. Por exemplo, problemas estruturais, problemas com parte elétrica, falta de locais para repouso etc.;
  • providências a serem tomadas — tudo que será realizado para corrigir as irregularidades encontradas. Por exemplo, compra de novos Equipamentos de Proteção Individual, reformas em determinadas áreas da empresa etc.;
  • assinatura de representante legal da empresa;
  • assinatura do responsável pelo relatório de inspeção e avaliação de riscos (profissional de segurança e saúde no trabalho).

Como fazer um relatório de inspeção de segurança no trabalho?

Faça o mapeamento dos riscos

Um mapeamento de riscos consiste, basicamente, em uma representação gráfica de todas as falhas, irregularidades e riscos em potencial identificados nos locais de trabalho na empresa.

Considerando que o objetivo é reduzir ao máximo o índice de acidentes e até mesmo neutralizá-los, o mapa tem o papel de analisar de maneira minuciosa os perigos de cada setor do estabelecimento, montando então um panorama amplo a respeito da empresa.

Vale lembrar, ainda, que nesse mapa devem constar alguns registros relevantes como:

  • informações sobre os funcionários;
  • rotina de trabalho;
  • processos e metodologias operacionais;
  • equipamentos e ferramentas utilizadas;
  • tipos de EPIs usados na operação.

Entre outros aspectos importantes sobre a rotina laboral dos trabalhadores.

Envolva profissionais capacitados no processo

Se você ainda tem dúvidas sobre como fazer um relatório de inspeção para avaliar os riscos, considere envolver profissionais altamente capacitados no ato de mitigar os riscos.

É preciso que eles tenham bastante competência e sejam especializados para garantir um auxílio satisfatório durante o ato de transição.

Ressaltando que a equipe envolvida deve ser totalmente capaz de sugerir melhores estratégias e ações para identificar e analisar os riscos toleráveis para determinados momentos.

Utilize tecnologia a seu favor

Não existem dúvidas de que a tecnologia é capaz de agilizar a avaliação de riscos de maneira significativa. Basta encontrar, em meio a uma infinidade de opções disponíveis no mercado, a melhor e mais compatível solução para as necessidades da empresa.

Um ERP de automação de tarefas desenvolvido especificamente para otimizar as funções do técnico de segurança no trabalho é, certamente, a melhor maneira de adotar padrões eficientes para identificar a rotina dos demais setores e mitigar os riscos envolvidos.

Acompanhe os resultados

De nada adianta fazer um relatório de inspeção e desenvolver planos de ações preventivas se os resultados não são avaliados de maneira precisa, concorda? Logo, o monitoramento das métricas estabelecidas pelo técnico de segurança do trabalho é uma das práticas mais relevantes em todo o processo.

Afinal, é preciso verificar cada ponto do que foi estabelecido para obter informações úteis e saber se as medidas estão surtindo resultados positivos ou negativos.

Esse acompanhamento deve ser realizado de forma periódica e, quando possível, no ato das operações, já que é dessa forma que será possível corrigir qualquer procedimento ou metodologia ineficaz, ainda que esteja no ciclo de análise de riscos.

Tenha um plano de emergência

Por fim, é preciso estabelecer um plano de emergência consistente, destinado a servir de parâmetro para a empresa prosseguir caso os imprevistos aconteçam e algum acidente de trabalho ocorra.

O plano de emergência deve integrar a gestão de riscos e, desse modo, caso as medidas de prevenção não sejam capazes de evitar acidentes ocupacionais, nele devem constar a padronização de tarefas e informações que proporcionem a melhor resolução de problemas possível.

Como você pôde conferir no nosso conteúdo, fazer um relatório de inspeção para avaliar os riscos potenciais e irregularidades no ambiente de trabalho é, sem dúvidas, uma das maiores responsabilidades do profissional responsável pelas medidas de segurança da empresa.

O documento, apesar de ser simples e exigir muita atenção de todos os envolvidos, pois qualquer detalhe que passe despercebido pode resultar em gravíssimas consequências tanto para os trabalhadores, que podem se acidentar, quanto para o empregador, que pode ter que arcar com penalizações, multas e ações judiciais.

Agora que você já sabe como fazer um relatório de inspeção, saiba também como fazer uma avaliação de riscos mais completa na sua empresa!