Toda operação necessita de uma equipe de profissionais dos mais variados segmentos de atuação do mercado trabalhando em conjunto para garantir o pleno funcionamento da empresa em suas diversas áreas.

Basicamente, o empreendimento funciona como um organismo dividido em vários módulos ou departamentos, tendo cada um deles a sua devida importância no cotidiano operacional. Entretanto, as responsabilidades de cada setor envolvido podem variar de acordo com as suas funções.

Dentro desse contexto, o profissional de segurança do trabalho tem uma das funções mais importantes da empresa: proporcionar a segurança do ambiente corporativo e garantir a integridade física e saúde de todos os colaboradores da companhia.

Continue a leitura para conferir 5 dicas essenciais para que você, como um profissional de segurança do trabalho, realize a sua função com eficiência!

1. Mantenha-se atualizado sobre o mercado

O conhecimento é uma poderosa ferramenta que jamais pode ser retirada do profissional e, quando expandida, é capaz de aumentar o seu potencial de forma significativa. Por isso, o técnico de segurança do trabalho que pretende se manter ativo no mercado precisa estar sempre em busca de aprimorar os seus conhecimentos e qualificações.

Considerando que esse setor pode ser muito exigente, complexo e competitivo, é imprescindível conhecer profundamente a legislação e os mais variados procedimentos, técnicas e normas, para garantir que todas as medidas de segurança adequadas sejam implementadas no ambiente de trabalho.

Para isso, é muito importante investir em cursos profissionalizantes, livros e todo o tipo de material que ofereça suporte e enriqueça as suas habilidades na área, já que seu trabalho é, literalmente, lidar com vidas.

Vale ressaltar, ainda, que mesmo com o alto índice de desemprego e a atual recessão econômica, o profissional de segurança do trabalho encontra uma alta demanda de ofertas de emprego. Entretanto, as empresas buscam os candidatos mais qualificados do mercado.

2. Tome medidas preventivas sempre que necessário

Um bom profissional de segurança do trabalho sabe que no ambiente corporativo não há margem para erros, já que o menor descuido pode não somente resultar em processos para a empresa, mas, até mesmo, custar a vida de um funcionário.

Isso significa que um bom técnico de segurança do trabalho precisa atuar de forma preventiva, jamais esperando um evento trágico acontecer para tomar as medidas adequadas.

Nem sempre há uma segunda chance para agir. Portanto, ao notar qualquer tipo de incoerência no ambiente de trabalho, não espere e tome uma atitude de imediato. Ainda que certas providências necessitem de procedimentos mais burocráticos para serem implementadas, a integridade dos funcionários jamais deve ser arriscada.

3. Fomente o engajamento na CIPA

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, mais conhecida como CIPA, tem como principal objetivo observar e relatar as condições de risco no ambiente de trabalho com o intuito de que as medidas necessárias para reduzir ou eliminar os riscos sejam tomadas.

Em outras palavras, a CIPA tem como missão preservar a saúde e integridade física dos colaboradores e de qualquer profissional que interaja com a empresa (trabalhadores terceirizados). A CIPA investiga situações de risco e acidentes, promovendo e divulgando o zelo pela observância das normas de segurança.

Vale lembrar que a CIPA não realiza o seu trabalho sozinha. O papel dela é o de promover a conscientização e estimular uma relação de diálogo entre a equipe e a companhia, de maneira participativa e colaborativa, objetivando a humanização do ambiente corporativo e as condições de trabalho.

Por isso, é muito importante fomentar o engajamento de toda a equipe de funcionários da empresa na CIPA, incentivando-os a:

  • indicar situações de risco;

  • observar recomendações sobre a prevenção de acidentes;

  • fazer sugestões de melhorias;

  • utilizar os equipamentos de proteção de individual (EPIs) e de proteção coletiva (fornecidos pela própria empresa), além de se submeterem a exames médicos previstos no regulamento e nas normas de trabalho.

Como profissional de segurança do trabalho, o seu dever é identificar membros da equipe que tenham um perfil de liderança e treiná-los para integrar a equipe da CIPA. Lembrando que eles precisam entender a relevância de suas funções e se mostrarem proativos com o projeto, para adequar a corporação aos requisitos de segurança.

4. Seja proativo e conheça a legislação

Como foi dito em um tópico anterior, é imprescindível que o profissional de segurança do trabalho tenha um perfil preventivo, sempre se antecipando aos imprevistos e evitando as situações de risco o máximo que for possível.

Para isso, é importante ser proativo e tomar medidas espontâneas como:

  • antecipar situações de risco;

  • desenvolver medidas e estratégias preventivas;

  • criar ações para preparar a empresa para imprevistos;

  • prevenir acidentes no ambiente de trabalho.

Esse tipo de medida só será possível se o técnico de segurança do trabalho tiver um perfil naturalmente proativo dentro da empresa. Basicamente, essa é uma qualidade essencial para que um profissional do setor exerça a sua função com plenitude e proporcione um ambiente seguro para todos os trabalhadores da companhia.

Além disso, é muito importante ser um conhecedor assíduo das normas e entender o que a legislação afirma nas mais variadas situações cotidianas que podem ocorrer em um ambiente corporativo.

Procure se informar se a empresa está com todos os programas em dia, como o PCMSO, PPRA, entre outros. Ressaltando, ainda, que o PPRA precisa de uma atenção especial, já que no caso de uma fiscalização ele costuma ser o primeiro documento a ser solicitado.

Não espere a corporação ser pega de surpresa, estabeleça um sistema de checagem do cronograma de ações e certifique-se de que ele está sendo cumprido diariamente.

5. Invista em conhecimento tecnológico e habilidades de comunicação

O profissional de segurança do trabalho tem como pré-requisito a habilidade de se comunicar com os funcionários, gestores e diretores da empresa, seja por meio da linguagem verbal ou escrita. Afinal, faz parte de suas funções produzir relatórios, e-mails informativos e sinalizações (saídas de emergência, localização dos EPIs, etc.) com diversos dados que devem ser apresentados a toda a equipe interna.

Por isso, é fundamental que esse o técnico de segurança tenha ao menos conhecimentos intermediários sobre informática e língua portuguesa, não é verdade?

Basicamente, é sua responsabilidade garantir que todos os trabalhadores e donos da empresa estejam cientes sobre a relevância da segurança e as medidas de prevenção dentro do ambiente corporativo.

Portanto, o profissional de segurança do trabalho precisa sempre buscar a renovação de seus conhecimentos, mantendo-se atualizado não somente sobre as tendências de mercado, mas também sobre as noções básicas de português, gramática e comunicação. Uma dica útil é investir na leitura e em cursos que o ajudem a desenvolver estas competências.

Além disso, é necessário que o profissional de segurança do trabalho tenha habilidades com programas do pacote Office, como Word, PowerPoint, Excel e, se possível, até mesmo o Paint, para que possa desenvolver sinalizações ilustradas por meio de uma linguagem simplificada, ilustrada e intuitiva.

Agora que você já conferiu as nossas dicas essenciais para um profissional de segurança do trabalho, compartilhe este artigo com os amigos em suas redes sociais!